Cultura, informação e bem estar.

Projeto que atualiza custas judiciais é enviado para votação do Plenário da Aleto

A proposta visa atualizar a lei de custas, que é a norma disciplinadora da retribuição financeira devida ao Estado pela prestação do serviço judiciário. Custas-processo-judicial.

A Comissão de Finanças, Tributação, Fiscalização e Controle da
Assembleia Legislativa do Tocantins (Aleto) aprovou na tarde desta
quarta-feira, 27, o projeto de autoria do Tribunal de Justiça do
Tocantins, que dispõe sobre custas judiciais. A proposta visa atualizar
a lei de custas, que é a norma disciplinadora da retribuição financeira
devida ao Estado pela prestação do serviço judiciário. O projeto foi
encaminhado para a votação no Plenário na próxima sessão.

O autor da proposta argumenta que o aprimoramento da prestação de
serviço jurisdicional é necessário, pois há mais de 17 anos não tem
qualquer adequação e correção de alíquotas e valores. Também é
justificado no texto, que a norma vigente não é suficiente para
remunerar as despesas decorrentes da tramitação de um processo judicial,
além de gerar evasão de receitas, prejudicando a eficiência da prestação
jurisdicional.

A arrecadação das custas judiciais é proveniente de fonte própria do
Poder Judiciário, sendo que suas receitas são gerenciadas por meio do
Fundo Especial de Modernização e Aprimoramento do Poder Judiciário
(FUNJURIS) da lei nº 954, de 3 de março de 1998. A lei de Custas
Judiciais está alinhada com o planejamento estratégico da
Corregedoria-Geral da Justiça para garantia dos direitos de cidadania e
instituição da governança judiciária.

Maisa Medeiros
Foto: Koró Rocha

Você pode gostar também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não aceitar, se desejar. Aceitar Saiba Mais